9 de janeiro de 2019

8 insights para criadores por Bia Granja do Youpix

Compiladão de respeito com as principais sacadas pra criadores de conteúdo na internet direto do papo com Bia Granja!


Cria conteúdo na internet? Está buscando um jeito mais autêntico e criativo de se comunicar com sua galera? Utiliza a internet como ferramenta de conexão entre pessoas e sua marca? Bia Granja, co-criadora do YouPix, tem dicas espertas pra você!

Sabe qual a diferença entre uma pessoa que nasceu até os anos 90 e outra que nasceu a partir dos anos 2000? A primeira faz parte da última geração que ainda possui boa parte de suas referências pautadas num mundo fora do digital! Já a segunda nasceu e está crescendo num mundo de referências fragmentadas!

A troca de informações e relação com o mundo está cada vez mais fragmentada e acelerada, e como lidar com essa lógica expressa e nada linear? E não só isso, como produzir conteúdo pra um negócio, marca ou projeto, trazendo elementos verdadeiramente autênticos em meio a tantos negócios, influenciadores e marcas gerando conversas e produzindo nessa era digital?

Durante o #VQVConvida com Bia Granja – co-fundadora do YouPix, aceleradora de negócios digitais e referência quando o assunto é indústria de conteúdo digital – essas e outras questões vieram à tona e esse papo foi abrindo abas e abas de assuntos relacionados a forma que criadores e empreendedores se relacionam com a internet. Pinçamos as principais sacadas dessas abas abertas e trouxemos pra você, nessa aba única! ENJOY! \o/

1 A internet democratizou a comunicação…

Se até um tempo atrás o “poder da palavra” era limitado aos jornais, revistas, televisão e rádio, com a internet esse poder se tornou alcançável a qualquer pessoa. 

Não é sobre você se expressar, mas ter alguém pra ouvir o que você está falando. Essa é a democratização da distribuição e alcance das coisas que a gente faz.

E essa democratização faz com que a magia aconteça! Marcas, influenciadores, produtores de conteúdo, empreendedores conseguem através da amanda interwebs se conectarem diretamente com os seus, pessoas interessadas em não só ouvir, mas também trocar! 

Você ser protagonista de alguma coisa é muito poderoso.

2 …e fragmentou tudo!

Lembra daquela história da pessoa que nasceu nos anos 90 e a outra que nasceu nos anos 2000? Pois é, sobre essa transição Bia Granja manda a letra:

Não vai ter mais geração que terá referência compartilhada.

Seja você um apaixonado por grindcore ou um consumidor assíduo de vídeos de ASMR, em alguns cliques você poderá navegar numa infinidade de informações e referências com relação aos seus interesses. E sabe o que é mais legal? Terá a oportunidade de perceber que não está forever alone e que de algum canto do mundo tem outras pessoas com as mesmas referências que você.

Bom… Sabe o seu tio, sua amiga, seus pais? Pois é. Eles também podem navegar por abas e mais abas de conteúdo sobre suas paixões, interesses, curiosidades! E assim as referências vão se fragmentando… 

A pergunta que não quer calar é: você tem criado conteúdo que gere valor pro seu nicho?

3 Crie aquilo que você consumiria, não seja genérico!

Bia Granja nos contou que desde quando o Youpix nasceu todo conteúdo produzido pela aceleradora tem como base aquilo que os co-criadores desejavam ler sobre internet, tecnologia e inovação, mas não encontravam. No começou o Youpix era uma revista impressa lá em 2006, e até hoje, seja no online ou offline, tudo que sai dali recebe essa pitada de autenticidade! 

Não basta que um conteúdo seja SÓ incrível, entregue camadas profundas de informação e fixe bem a plaquinha do porquê que direciona a sua criação e então, espante todo o tom genérico da sua comunicação. 

Tudo que for muito genérico tende a não sobreviver, porque se você não estiver falando com um nicho, uma audiência, uma comunidade específica, elas não vão entender, as pessoas estão indo atrás de formatos que elas conhecem, gostam, se sintam representadas.

Nas redes sociais do seu negócio, você tem produzido aquilo que amaria ler sobre suas paixões e interesses?

Está gerando valor pro público que te encontra através desse conteúdo produzido?

Internet é uma puta ferramenta de transformação, expressão, diversidade.

A internet é uma conectadora de nichos, explore todo o poder dessa ferramenta pra levar seu trabalho pra geral! 

4 Pense como uma empresa editorial

Quantas pessoas chegaram até o seu trabalho através dos seus canais na internet? Se você está lendo esse post é porque já produz ou quer produzir conteúdo pra ter uma conexão diferente com sua galera, certo?! 

Ou talvez seu negócio é produzir conteúdo na internet, através de um canal no Youtube, por exemplo. 

Como você se organiza pra criar, produzir, editar, divulgar?

Essa organização dos processos é o que te permite estar presente consistentemente nas redes de contato com sua audiência. 

 Você tem que pensar como uma empresa editorial mesmo. 

Quais canais você quer investir? Qual já definiu sua frequência em cada um deles? Você tem um plano editorial? Sabe nos dizer o que entra no ar na semana que vem? E daqui 15 dias? 

Pensar e criar como uma empresa editorial é ter na ponta da língua essas respostas!

5 Tenha o mindset de empreendedor

Talvez esse insight cause arrepios em quem -ainda acha que- não é empreendedor. 😛

Hoje em dia pra ganhar dinheiro e transformar a criação e criatividade em negócio você vai precisar realmente ter todas as ferramentas, habilidades de um empreendedor. Real oficial.

O trabalho criativo é uma delícia, né?! A gente bem sabe… Mas só com o mindset de empreendedor, como bem disse Bia Granja, você poderá viver daquilo que ama de um jeito sustentável.

Seu negócio é criar? Empreenda isso!

Seu negócio é a arte? Empreenda isso!

Quebre o tabu de que criatividade e empreendedorismo não se dão bem na mesma frase. 

Mood Criativo e Empreendedor? Ativar!👊

Temos que sofisticar nosso olhar pra aquilo que estamos fazendo. Você tem que pensar como empresa. Tem que pensar quais são os ativos que tenho e como transformá-los em modelos de negócios, stakeholders diferentes.

6 Tenha uma conta conjunta com sua comunidade

Esse pra gente é um ponto-chave do papo: tenha uma conta conjunta com sua comunidade! O que isso significa? Bia Granja manda a letra:

Como criador a gente tem que pensar que a gente tem uma conta conjunta com a nossa comunidade, nossa audiência e todo mundo tá depositando, de modo que, se alguém precisar sacar, tem saldo. O desequilíbrio vem quando a gente deposita, deposita e vemos que não tem outra pessoa depositando e a gente está falando sozinho ou quando a gente quer sacar muito e nossa comunidade diz “Pô, mas cê só saca?”

7 Crie conteúdo nativo

Rafa Cappai perguntou as principais tendências em conteúdo que precisamos ficar de olho nos próximos anos e Bia Granja enumerou três! A primeira delas foi a criação de conteúdo nativo! 

Vai ser uma ultra fragmentação e isso pode ficar bem confuso pra gente de conteúdo. A gente vai ter que postar conteúdo nativo em cada um desses lugares. Conteúdo original pra aquele lugar. Não é recorte é realmente pensando naquela linguagem.

Facebook, Instagram, IG TV, Tik Tok, Snap Chat, Medium, LinkeIn, Youtube, cada uma desses redes possui uma linguagem diferente e seus usuários, um comportamento diferente.

Você não precisa estar em todos os lugares! Mas compreender a lógica de cada uma das plataformas que deseja produzir é indispensável. Comece aos poucos, domine os processos do Instagram, parta pro Youtube e se encontre com sua galera! 

Não se afobe não, viu? A internet possui vários “cômodos” pra você se expressar e criar, encontre os que são mais aconchegantes pra você e sua audiência. 

8 A internet não desliga, mas você precisa desligar!

Precisamos falar sobre saúde mental de creators e empreendedores!

No papo Rafa Cappai e Bia Granja contaram sobre como foi reconhecer que precisavam de um respiro da rotina de trabalho ao serem diagnosticadas com um quadro de burnout.

A ansiedade, o cansaço excessivo, aquela sensação de ter que continuar produzindo incessantemente, são sinais de alerta pra criadores e empreendedores que dão duro pra fazer seus rolês acontecerem. Falar sobre saúde mental de criadores e empreendedores digitais é então uma forma de conscientização pro autocuidado. 

Quando seu negócio, sua empresa é um reflexo de você, isso tende a ficar muito mais pesado, ainda mais quando você está fazendo uma coisa que é muito nova, que não existe modelo, não existe faculdade, você fica o tempo todo inseguro, correndo atrás, se provando ou provando para outras pessoas, isso é um processo extremamente cansativo.

Como ter esse autocuidado? Para além das métricas quantitativas que as redes sociais escancaram, likes, excesso de informação e estímulos, olhe pra dentro! Reafirme o seu propósito de estar ali e seja gentil consigo mesmo! 🙏


Curtiu esses oito insights? Tem muito mais no #VQVConvida completo! Confira na íntegra:

As pessoas ainda estão perguntando se a internet é uma modinha, se o Youtube vai acabar. Cara! É bizarro! É uma falta de visão não é mais um lugar, não é mais uma coisa, é um modo de vida, é uma expressão, a forma que a gente entende o mundo. Não é uma ferramenta técnica, ela realmente mudou um comportamento. ~ Bia Granja

Em 59 minutos de inspiração, papo bom, elegante e sincero, Bia Granja ainda compartilha:

  • Como é o processo criativo do Youpix;
  • os modelos de negócio pra ganhar dinheiro na Internet;
  • como lidar com a over exposição;
  • as 3 principais tendências na produção de conteúdo e
  • a importância de ser “digital afetivo” e compartilhar. 

👉 Antes de ir embora, conta pra gente nos comentários qual desses insights falou diretamente com você? 

📌 O que achas de continuarmos conversando de pertinho sobre vida, negócios e outros carnavais? 

Assine a Mensagem de Bordo,clicando aqui e continue acompanhando nossos rolês!

Veja mais em: Bússola

Receba dicas de como transformar
paixão e talento em negócio!